Nutrição Comportamental: uma abordagem social e emocional

A nutrição comportamental chega como uma abordagem científica inovadora, que acrescenta aspectos fisiológicos, sociais e emocionais no ato de se alimentar e, assim, se contrapõe às tendências atuais em que a alimentação é muitas vezes considerada um ato biológico e racional.

O ato de comer está presente desde sempre e, precisamos lembrar, que a nutrição é uma ciência dos tempos modernos. E ela não pode estar associada à perda do significado que a comida possui uma bagagem cultural, religiosa, política não só sua composição nutricional. Alimentação gera também memórias afetivas tanto positivas como negativas e, com isso, cada pessoa cria seu perfil alimentar que possui suas particularidades, mostrando que não há uma fórmula universal para ingestão de alimentos.

Uma das premissas da nutrição comportamental é que todos os alimentos possuem espaço em uma alimentação saudável e equilibrada respeitando as questões de quantidade e frequência. E essa contextualização com todos os alimentos precisa respeitar a individualidade de cada pessoa, fazendo, com que, o ato de comer traga sentimentos bons que não seja sacrifícios.

Outro objetivo é realizar a orientação nutricional não baseada em “dietas”, pois, essa palavra já remete a restrições alimentares. E sim, basear o trabalho do profissional nos hábitos saudáveis do paciente e não só determinar o peso a ser atingido, pois peso não é um comportamento e, assim, não é o foco para o tratamento. Talvez se torne uma possível consequência da mudança de comportamento.

O significado simbólico dos alimentos é tão importante quanto as funções nutricionais dos mesmos, e a nutrição comportamental chegou para atingir juntamente as necessidades nutricionais e as questões simbólicas. E também, como se comer não só o que se come motivando técnicas de se alimentar com atenção plena, onde o momento seja respeitado se tornando prazeroso.

Referência:

Alvarenga, M.; Figueiredo, M.; Timernan, F.; Antonaccio, C. Nutrição comportamental. 1 ed. São Paulo. Editora Manole Ltda, 2016.

 

Escrito por: Flavia Barbosa Leite – Estagiária de Nutrição

Luciane Bones Ostrowski – Nutricionista CRN 2:10600

No Comments Yet.

Leave a comment

You must be Logged in to post a comment.